segunda-feira, 1 de outubro de 2018

Vestida de poesia

Viajando nas linhas tênues da imaginação
perpassei uma miríade de estrelas cintilantes
conheci a dourada vivenda do cometa
e pernoitei numa rede tecida com fios de luar

Nessa intensa e maravilhosa romaria
fui orientada pelo voo diáfano das borboletas
serpenteando os caminhos da fantasia
vesti-me com o glamour da poesia

Rabisquei versos etéreos na dourada casa do sol
No hall de saída toda encolhida estava a estrofe
vigiava os trovadores do suave acalanto
para em si menor escreverem uma partitura
que seria musicada pela musa vestida de poesia
(Gracita)

6 comentários:

  1. Viajei no lirismo terno desta majestosa poesia
    Um deleite que sorvi com imenso prazer
    Um abraço

    ResponderExcluir
  2. A magia presente nos versos da tua bela e encantadora poesia
    Beijinhos no core

    ResponderExcluir
  3. A poesia sempre brotando da sua alma poética para nosso deleite!!! Bj

    ResponderExcluir
  4. Boa tarde:- Poema encantador de um brilhantismo poético ímpar.
    .
    * Olhando o mar em silêncios de amor ( Poetizando e Encantando) *
    .
    Deixando um abraço

    ResponderExcluir
  5. Boa noite, querida amiga Gracita!
    Vestir-se com o glamour da poesia é estar lindamente adornada com as mais preciosas virtudes da alma.
    Deus a abençoe muito!
    Bjm fraterno e carinhoso de paz e bem

    ResponderExcluir
  6. Uma bela inteligente criação da poesia.
    linda esta travessia da poesia nestas belas vestes.
    Show de construção amiga querida.
    Beijos

    ResponderExcluir